ADS

JORNADA COM O GENERAL-DE-EXÉRCITO GAKER

Saiba mais sobre a história do atual Comandante do Exército Brasileiro.

A série JORNADA está de volta e traz(depois de MUITOS pedidos) um pouco da história do General-de-Exército Gaker. O Diário Brasileiro foi atrás e reuniu informações importantes sobre ele. Saiba mais sobre seu início no BR, o que ele conquistou e seus feitos mais importantes. Confira abaixo:

Gaker
Alistamento: 09/05/2016


Primeira experiência:


Conheceu o Exército Brasileiro por acaso, estava sem nada pra fazer no e começou a olhar o navegador, eventos e os quartos mais populares. "A forma que o pessoal se apresentava me conquistou, sejam chamando no hall para se alistar ou até da forma com que os treinadores agiam." Nunca tinha feito parte de instituições no Habbo e até pensava "que porra essas crianças ficam jogando policia em Habbo". 



Experiência no Corpo de Praças:

No começo era um Praça bem ausente, até chegar em patentes mais altas como Sargento. Nesse meio tempo acabou se apegando com o pessoal e até mesmo com a instituição, foi o momento em que, seu vício aumentou e sem objetivo nenhum, queria continuar. Acabou viciando demais, estava sempre online, surgia um tempo no dia e estava no computador pra jogar. Fechando sua passagem no Corpo de Praças, recebeu a premiação de Praça mais presente de 2016.

Experiência nas Academias:

Neste tempo não teve muitos feitos até chegar na EsPCEx e AMAN, onde conheceu muita gente boa e teve algumas ideias colocadas em prática, por exemplo alguns quartos como a atual sala de T2 que está desde aquela época e o mesmo mantém hoje. Na época, como um Praça e vendo os quartos ou modificações que fez sendo colocados em prática era uma satisfação enorme, porém, no fim da AMAN acabou reprovando. "A reprovação me frustrou, passaram apenas 4 Cadetes, ficando eu sem entender o motivo direito. Depois disso, fui o único que permaneceu ativo, mas com a experiência de ter feito as Academias e percebendo os erros." Logo depois foi convocado novamente pelo então General Pektros e buscou fazer tudo diferente, ou seja, melhorar no que achava ter errado.

Experiência no Corpo de Oficiais:

Demorou 7 meses para chegar a Aspirante-a-Oficial. Nessa fase, a abertura que o deram para criar ou desenvolver coisas novas foi essencial, não conseguia ficar um dia sem pensar em algo novo, tanto pro jogo quanto pra partes externas. "Muitos criticavam essa parte que fazia, dizendo que deixava de lado a parte do Habbo ou funções no jogo, ou até mesmo por ser beneficiado por fazer isso, mas pelo contrário, isso não interferia em nada, conseguia ser presente e exercer o bom trabalho, na minha visão.  É algo que você pensa, se sei fazer algo ou posso aprender pra ajudar, porque não fazer? Por incrível que pareça, aprendi tudo aqui e hoje ganho dinheiro com isso KKKKKK"

Feitos até o momento do General:

"Não sei se foi intencional, mas desde que me entrei no CDO já preparava todas as partes para que ficassem funcionando. Tinha um pensamento enquanto oficial de que, se o BR estiver em todos os lugares, não só no Habbo, a experiência aumenta e potencializa ainda mais o poder da instituição." Foi quando buscou a Habbid como parceira do Exército Brasileiro, e com a ajuda do atual Aspirante-a-Oficial joaoguarana conseguiram um emblema oficial para a instituição, algo incomum e gratificante. Assim, criou e ajudou no desenvolvimento do painel e sistemas que utilizamos hoje em dia, na criação dos patrocinadores e em cada grupo ou parte que virava líder, buscava aumentar a produtividade. Refez o Diário Brasileiro do 0, passando de simples notícias de promoções para uma cobertura maior e completa da instituição, ajudando no que ele se tornou hoje em dia. Focou na parte que faltava nas redes, mudando o formato do BR no YouTube, redes sociais, criando vídeos e conteúdos, bem como reformular a Cavalaria, com o objetivo de mudar a imagem ruim que todos tinham para melhor, felizmente deu certo. No tempo, fazia parte da Segunda Companhia e mudou para a Terceira, assumindo a liderança com um nível baixo, onde nenhum oficial gostava de fazer parte e as funções eram deixadas de lado, não havia incentivo, todos colocavam a Companhia de treinamentos em primeiro lugar. Com o mesmo objetivo, mudou a imagem, focando em evoluir na organização e incentivo da equipe, o que gerou grandes e bons resultados. "É perceptível como depois das mudanças os novos oficiais gostavam de ir para a 3CP, e não só isso, eles escolhiam por conta própria. Gosto de destacar os eventos rápidos da terceira, que vieram para aumentar a rotatividade de mobis e câmbios de premiação e valorizar os militares onlines. Falando um pouco mais a frente, hoje no meu comando, é algo bem mais estável, as duas possuem a mesma importância e dou um valor igualitário. Obtive uma boa experiência enquanto oficial, subi muito rápido e consegui estar na liderança de todos os grupos e partes, exceto os Helpers e Monitores. Posso dizer que obtive uma boa preparação e passagem, consegui receber o prêmio de Melhor oficial de 2017, o que finalizou com chave de ouro minha caminhada no oficialato."

No comando da instituição:

Quando assumiu o comando teve um grande apoio, porém, alguns acontecimentos iniciais complicados que considera uma fase de transição, foi um momento difícil para ele. Buscou avaliar o que teria pela frente de modo a evoluir, aos poucos, continuando fazer crescer ainda mais. O ataque no JAM na época foi um bom momento, mas a primeira coisa foi alterar toda a formação dos militares desde o alistamento até as Academias, focando na qualidade e potencial, dando uma abertura também maior. Fez alguns ajustes no QG, o que de início assustou algumas pessoas, criou o PDV, funcionamentos gerais como na ADR e atividades de lotação, que até então eram para ser algo passageiro e não fixo, e para sua surpresa ficaram. Foi quando surgiu a ideia de uma pequena expansão, chamada de QG2, e diferente de criar outro exército, era apenas trabalhar com dois quartos ao mesmo tempo, mesmos oficiais e mesmos praças. Realmente é algo possível, mas difícil no ramo militar, foi um projeto de testes que serviu de aprendizado para outros. A ajuda de todos foi fundamental, desde a busca da estabilidade até maneira de trabalhar, buscando a união dos membros, algo que era difícil antigamente em determinados momentos, como intrigas e pessoas más intencionadas. "Trabalhei durante muito tempo para que esses efeitos fossem saindo aos poucos, como fofocas, falta de confiança ou problemas em todos os sentidos, um processo DEMORADO, que continua sempre e que também não depende só de mim. As mudanças foram notáveis, se antigamente de 10 reprovados em uma AMAN saiam, hoje em média 9 continuam conosco, ajudando firme e com vontade de crescer. Se antigamente eram vazados dados, provas e assuntos sigilosos em grande escala, hoje temos uma grande queda de atitudes assim. Também há uma elevação de membros antigos retornando para buscarem os objetivos que não haviam concluído, o que pode se avaliar como uma boa impressão externa. A boa formação ultrapassa somente em ensinar o militar a como trabalhar, vai dos valores e da coletividade que devemos ter num jogo social como esse."A importância disso chega com a criação, também em forma de teste, da EsAO (Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais), que forma bons oficiais superiores e a CTEx, que da a oportunidade para militares que gostaria de se desenvolver na área da tecnologia. Já o Painel de Praças passou de um simples site para uma engrenagem dependente, onde os jogadores podem trabalhar e receber moedas por isso, enviar relatórios automáticos, interagir entre si, se destacar perante aos demais e uma série de outras possibilidades que isso nos possibilitou. "Além disso, trabalhei durante muito tempo para que tivéssemos um conforto na segurança enquanto sistema, e hoje sinto satisfeito em poder saber tudo sobre todos, poder confirmar rapidamente quem é fake, quem já se alistou, locais de acesso de cada membro e tudo mais, mas claro, sem deixar a privacidade de cada um de lado. O BR se tornou uma máquina de conhecimento e dados que vão muito além de ser apenas um Exército no Habbo e é até difícil citar tudo, pois realmente é gigantesco, tendo controle sobre todo o ramo militar de uma maneira impressionante. Acho que todas as polícias do Habbo já me procuraram para fazer o sistema deles, oferecendo dinheiro e propostas gerais, porém, só o BR pode ter rsrs"

Print escolhido pelo General.

Considerações:

"Tive uma vasta experiência e de acontecimentos que se sucederam. O conhecimento adquirido aqui é sem igual, não só na parte intelectual, mas vai desde os valores pessoais até conceitos de vida. Por isso posso confirmar que valeu todo o tempo já passado aqui dentro, os amigos que fiz e pessoas especiais como Pektros, ..Maax.., Alessandero, os atuais Oficiais, Praças e os que já se foram. Hoje o Habbo é diferente, mas posso confirmar que não há concorrentes a altura, sendo um cenário que: o BR é superior porque é o BR, independente do acontecimento. As coisas sempre dão certo porque é o BR fazendo, independente do que fizermos." É difícil citar tudo que fiz e faço, mas grande parte é o que esta ativo hoje em dia. Busquei e busco ajudar como posso, continuo e sempre continuarei no trabalho de manter a instituição no seu melhor momento, completando esse ano 10 anos. Ainda há muitos projetos e mudanças a fazer, o que não é algo rápido. Admiro o trabalho do atual Corpo de Praças e Corpo de Oficiais, são amigos, inteligentes, empenhados e focados na qualidade que buscamos, e ao Alto Comando que está se mostrando mais sólido e eficiente."

Algumas palavras ditas por ele: 

"Agradeço ao Diário Habbo, que nunca deixará de ser Brasileiro (DBR)! Sucesso total nessa nova fase que estamos planejando e desenvolvendo! Vocês são foda <3"


E então caro leitor, gostou? Então comente abaixo o próximo que você quer ver aqui no jornada! Até mais.

3 comentários:

  1. Que lindo! Bjo do Pedro

    ResponderExcluir
  2. Aquele rapaz na SDE é de fato muito bonito, não é o Wins aqui.

    e verdade esse bilete

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.